, , ,

O Nagual

“O Tonal se divide em duas partes e faz parecer que estamos lidando com as duas partes da nossa dualidade:
bem e mal, corpo e alma, matéria e mente, positivo e negativo…
mas ao acreditar nisso estamos apenas brincando de pegar dois elementos do tonal e opondo um ao outro.

Por isso, fazer parar a visão de mundo do Tonal
é a chave do caminho do guerreiro para permitir que a outra parte da nossa Totalidade emerja…

O NAGUAL

O Nagual é aquilo que está silenciosa e atemporalmente pairando mais além dos limites da ilha do Tonal.

Todo Tonal, dizia dom Juan, é como uma barca flutuando no Nagual.

Assim sendo, está fora do departamento da Primeira Atenção:
não pode se tornar uma memória, ser compreendido por meio de palavras e simbolos,
não se pode agarrá-lo e segurá-lo com a mente. Ao fazê-lo estaremos apenas emprestando elementos da Ilha do Tonal…
ou seja: é uma tentativa do Tonal de assumir o controle e seguir falando de si mesmo.

O Nagual pode apenas ser presenciado.

O ser humano normal passa uma vida inteira sem se dar conta deliberadamente da presença do Nagual
devido ao uso constante da Primeira Atenção.

Em alguns raros e escassos momentos o Nagual pode emergir inadvertidamente, e se o Tonal está enfraquecido
isso resulta geralmente em pânico e medo de morrer ou enlouquecer.

Sabendo disso, os videntes toltecas formularam o Caminho do Guerreiro:
recomendam não que se enfraqueça o Tonal pra fazê-lo largar o controle,
mas fortalecê-lo, ensinando-o o desapego de suas criações,
a superação do medo e da clareza,
para que se torne capaz de voluntariamente soltar o controle.

Outra coisa que se pode dizer, é que sua atenção pode agir sobre a Ilha do Tonal
e que seus efeitos estão totalmente além dos limites da razão.

Ela é chamada de Segunda Atenção, e é aquilo que se pode vir a conhecer do Nagual:
seus Efeitos.

O Nagual propriamente é Incognoscível, e os Toltecas consideram o ato supremo
de se tornarem alertas dele como a Terceira Atenção
ou como a preparação para a entrada na Liberdade Total.

A SEGUNDA ATENÇÃO

A Segunda atenção surge da porção do Nagual
que se encontra logo abaixo da Ilha do Tonal
e que é capaz de atuar sobre a Ilha.

É a força inexplicável graças à qual testemunhamos e nos tornamos conscientes de ser.
E seu manejo nos torna capazes de mover o nosso testemunhar, presenciar o mundo do dia a dia de outras formas,
estabelecer novas intenções ou presenciar outros mundos.
Enquanto o movimento da 1a atenção é testemunhada pela razão e dá lugar à consciência de ser um Corpo Físico,
O movimento da 2a atenção é testemunhada pela vontade e dá lugar à consciência de ser, pura e simples, uma consciência luminosa percebedora – nosso Corpo energético, do qual tanto o Corpo físico quanto o de Sonhos são parte.

Para chegar à ela, é preciso parar a Primeira Atenção e deixá-la afundar, por assim dizer, no momento presente.
Ou seja, parar a visão de mundo do Tonal, o diálogo interno.
Estar consciente não de uma coisa ou de outra, mas do fato de estar consciente.

Como o Tonal sempre tenta reassumir o controle explicando-se esses momentos de intensidade,
por medo ou apego à razão,
o trabalho dos guerreiros é de reduzirem sua auto importância e acabarem com o medo e cegueira da clareza no Tonal…
ambos decorrentes da crença do tonal de ter se tornado o tonal pessoal.

A 2a Atenção se fortalece por meio do acúmulo de silêncio, na prática do Sonhar ou pela Espreita,
e se torna uma parte funcional quando o sentimento de divisão é transcendido no Tonal,
fundindo-se então à Primeira Atenção.

(Jeremy Christopher)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *