“À medida que seus estudos se aprofundavam, o aprendiz tolteca começou a ver além do Conhecido e os mistérios do Desconhecido. Eles podiam ver a natureza radiante do corpo humano fora da estrutura física. Eles podiam ver que o corpo de cada pessoa estava cercado por uma campo de energia da luz âmbar. Além disso, os toltecas foram capazes de ver um ponto de luz mais brilhante nesta concha luminosa. Este ponto brilhante era o ponto onde as emanações universais se fundiram em uma intenção unificada que eles chamaram de ponto de aglutinação dentro do molde de homem. Era o ponto onde a percepção se originou e estava exatamente no mesmo lugar para todas as pessoas.

Nossas ações são aprendidas e silenciosamente postas em acordo com o constante treinamento dos adultos que nos ensinaram sobre seu mundo desde o nosso nascimento. O ponto de aglutinação de ser humano estava congelado naquele local e somente através da intenção perceptiva ele poderia ser deslocado para um alcance maior de visão e se mover para um local diferente no molde do homem. Cada geração de crianças cresce dentro de um quadro de referência definido que oscila entre as dualidades deste planeta, mas está sempre dentro do quadro do ponto de aglutinação humano, dentro do molde do homem. Os toltecas ensinaram a seus jovens aprendizes métodos para mover seu ponto de aglutinação além dessa dualidade e chamaram esse novo local de ponto de aglutinação de Ver.

A busca contínua do amor sempre fez parte do ponto de aglutinação humano comum. As artes estão repletas de canções de amor, imagens de amor, e o amor pela exploração tem motivado as pessoas ao longo do tempo a inventar e descobrir os mistérios desta Terra. O lado sombrio do amor humano é que muitas vezes termina entre as pessoas. Os toltecas sabiam que o ponto de aglutinação era suficientemente flexível para ser deslocado tanto para o Ver quanto para o sentimento de amor ou perda de amor por uma ocorrência incomum. Era fácil para eles ver os resultados ou subprodutos do amor, como um beijo ou um abraço, mas eles desejavam ver além da reação emocional. Acabaram por se dar conta de que a substância ilusiva do amor que ligava o globo inteiro é a consciência. Quando a consciência alcançava uma forma clara e pura, mesmo que momentaneamente, era chamada de amor.

Vá para uma área movimentada da cidade e tome uma posição onde você possa ver as pessoas que passam. Silencie seus pensamentos e intente se tornar um observador objetivo das pessoas. Observe todas as interações que conectam uma pessoa com outra, ou aquelas que alienam as pessoas umas das outras. Veja o momento antes de duas pessoas se unirem. Você está tentando ver a energia positiva que ocorre quando eles se reconhecem à distância e ficam felizes porque o encontro está prestes a ocorrer. Veja o momento unificado em que dois estranhos interagem por meio de uma conexão feita enquanto um deles passeava com seu cachorro amigável. Do lado negativo, veja se as pessoas retêm a raiva quando acidentalmente esbarram umas nas outras. Veja a raiva que permanece quando um acidente de carro é evitado e ainda assim os motoristas mantêm uma emoção persistente por muito tempo após o evento. Testemunhe as interações humanas como uma busca por conexões, tanto positivas quanto negativas, dentro de seu ponto de aglutinação unificado. Elas estão sempre interagindo de maneiras previsíveis entre os suportes da extrema alegria de um lado, e a emoção de extrema raiva do outro. No meio estão sentimentos residuais chamados melancolia, tristeza, felicidade ou tédio, mas todos consistentes dentro dos perímetros humanos.

É interessante que possamos realmente fazer avaliações das pessoas à distância, antes de validarmos nossa visão por meio de qualquer interação pessoal. A capacidade de um humano de detectar um amigo ou inimigo, ou mesmo alguém com quem terá um relacionamento mais profundo antes que o contato seja consumado, é um resquício de nossas habilidades de sobrevivência desde o início dos tempos. Para estabelecer uma tribo coesa, os toltecas usavam o Ver. Ver as qualidades abstratas de outra pessoa era obrigatório para o desenvolvimento de sua civilização avançada. A percepção incorreta de uma situação pode significar o fim de sua civilização. O fim da cultura mesoamericana dos astecas começou com a visão incorreta dos visitantes estranhos e hostis da Espanha, erroneamente interpretados como a família que retornava, da linhagem Quetzalcoatl dos toltecas.

Sua capacidade de entender a essência de uma pessoa à distância é magia perceptiva. Eu instruo meus aprendizes a sempre usarem os primeiros minutos de ver uma pessoa que não viam há algum tempo, como o melhor momento da visão verdadeira. Aqueles poucos segundos seriam o único tempo disponível para avaliar quaisquer mudanças na aparência sutil e verdadeira de seu amigo. Após esses primeiros momentos, uma familiaridade se instala e você encobre a visão inicial com filtros antigos. Após os primeiros segundos, a pessoa é vista como o Conhecido, em vez do Desconhecido. A primeira fase de ver seu amigo é quando você o vê à distância e ele continua fazendo parte do panorama de estranhos. Esta é a única vez que você pode avaliá-los com o Ver puro. A segunda fase vem quando você os reconhece de repente na multidão e começa a estruturar sua imagem com a história pessoal. A última fase é uma aglutinação de sua história pessoal com você, e essas reluzências de experiência os remodelam em familiaridade Conhecida. Na última fase você não pode mais avaliar as mudanças em sua aparência física com qualquer imparcialidade. Se seu amigo ganhou peso ou envelheceu, ou os aspectos mais sutis de sua energia mudaram, isso não é mais tão aparente quanto durante a primeira fase da visão.

Para entender as diferenças sutis nas pessoas, o mago perceptivo fica fora do Conhecido. Eles treinam sua visão para a compreensão pura das energias que compõem todas as coisas vivas. Ser capaz de determinar as qualidades mais raras de um humano é o auge das habilidades de Ver. E ser capaz de ver quando o amor entre duas pessoas aumenta ambas as partes para uma vida inteira de consciência é um presente concedido pelo mago perceptivo maduro.

Agora intente ver alguém que esteja fora do ponto de aglutinação geral da multidão que passa. Se você tiver sorte, um dia sua intenção será atendida e você verá essa pessoa em meio a uma multidão de estranhos. Quando essa pessoa chegar, veja como ela anda e interage dentro do caos de pessoas em movimento aleatório. Há algo diferente em seu movimento, talvez seja sua graça, ou sua confiança. Sua linguagem corporal é elegante e segura, seu humor é de distanciamento e sobriedade engajada ao mesmo tempo. Você gosta dessa pessoa. Você pode ver essa pessoa se tornando uma amiga ou amigo confiável. Você vê que essa pessoa interage com as situações negativas e positivas da vida como um guerreiro: paciente, doce e com um grau de astúcia e até implacabilidade. Você os vê como alguém em quem se pode confiar para realizar uma tarefa e eles seriam impecáveis com cada uma de suas palavras. Você vê que sua conexão com eles não é baseada em avaliações comuns de conhecê-los no trabalho ou lazer ou eventos familiares. Você é capaz de entendê-los sem nenhuma interação física ou conversa. Esta é uma avaliação clara, sem hesitação, e parece verdadeira sem reservas internas. Essa pessoa é removida de sua estrutura razoável. Eles ativaram uma propriedade misteriosa que estava esperando lá dentro, que chamamos de amor. Se o seu “olhar” evoluiu para uma visão clara e precisa, então é a sua consciência que combina com a consciência deles, e isso é chamado no mapa tolteca de “encontro dos Núcleos”. Há algo avassalador em seu ser efervescente que só pode ser definido como consciência. Essa pessoa personifica a consciência simplesmente sendo ela mesma. Eles estão compartilhando esse campo energético com todos por quem passam, sem reservas blindadas. Ver de maneira tão segura está fora do reino da razão. Confie em seu senso intuitivo e, quando estiver pronto ou pronta, sua Voz do Ver validará sua avaliação. Se a Voz do Ver é silenciosa, então seus desejos e projeções obscureceram sua verdadeira visão. Se a Voz do Ver lhe der uma afirmação, então você acabou de ver e experimentar o amor como consciência.

(Ayakel Quetzalcoatl, Twila Chigwa, “A Voz do Ver: Um Caminho de Conhecimento de um Pai Tolteca)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.