Os homens e mulheres de conhecimento da antiga tradição Tolteca afirmam que existem 3 níveis de atenção ao nosso alcance, que são realizações completamente diferentes em si e que chamaram simplesmente de a primeira, a segunda e a terceira atenção.
 
Enquanto pessoas normais, usamos conscientemente apenas a primeira atenção e é com ela que fazemos o nosso mundo. Ela é um estado de ser presente apenas nos seres humanos, em que nos tornamos seletivamente muito atentos a algo e desatentos do resto, nos concentrando em uma coisa ou assunto de cada vez. E é através do movimento linear dela que aprendemos e acumulamos esse repertório de coisas conhecidas que vão formando a nossa visão de mundo. Nossa experiência presente, aquilo que sentimos, pensamos, é determinada e depende daquilo em que a nossa primeira atenção está focada no momento, dentro do seu repertório… seja algum acontecimento externo, um pensamento, uma emoção, um texto… Quanto mais coisas conhecemos e aprendemos mais nossa visão de mundo cresce. A visão afirma que somos um objeto, ou uma alma dentro de um objeto, que é o nosso corpo, vivendo em meio a um universo de outros objetos sólidos. Essa visão acaba por nos envolver tão completamente num mundo de rotinas maçantes que ficamos sufocados e presos dentro delas até a morte, a não ser que façamos alguma coisa pra nos libertar e sair dessa situação antes disso: “parar” a nossa visão de mundo e despertar nossa segunda atenção.
 
A segunda atenção é nossa herança mágica. Ela é um potencial presente não só em todos os seres humanos como em todos os seres vivos e até aqueles que não estão vivos da mesma forma que nós. Está ao alcance de todos mas são raros os seres que se tornam deliberadamente conscientes dela e se dedicam a explorar seu potencial, porque a primeira atenção é capaz de ofuscá-la totalmente enquanto está operando, tão bem que faz com que os seres humanos a percam completamente de vista a certa altura O domínio da segunda atenção é o que transforma um escravo-prisioneiro da própria mente em uma consciência percebedora livre e com possibilidades perceptivas que transcendem totalmente os limites da razão. Para chegar antes à segunda, e depois à terceira atenção, os videntes toltecas descobriram e desenvolveram ao longo de séculos um sistema vasto de conhecimento e prática. O primeiro passo é almejar se tornar um guerreiro (da liberdade), um ser que cultiva o controle, a disciplina, a paciência, o senso de oportunidade e que declara guerra ao seu sentimento de importância pessoal própria.
 
– Jeremy Christopher
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *