, , , ,

Como é possível usar a linguagem para entender melhor ou mesmo falar da Terceira atenção?

P: Como usar os termos para falar do que é Inominável?

R: Como não se pode lidar diretamente com o Incognoscível, já que os esforços sempre recaem dentro do âmbito da primeira atenção ou da segunda, os videntes ambidestros dizem que o que se pode fazer é ter as 2 atenções bem consolidadas e próximas, ainda que distintas, pra assim “deslizar” pelo meio delas. O ato de deslizar se torna possível ao sustentar a descrição do mundo do corpo físico, no lado direito, e do mundo do corpo de energia, do lado esquerdo, e percebendo que não somos nem uma nem outra de todo, e ambas ao mesmo tempo. Nesse vislumbre a percepção escorrega/”escapa” entre as duas na tomada de consciência daquilo que está além dos limites da segunda. Vendo Isso os videntes podem descrever o que vêem, e alguém que igualmente veja pode corroborar, mas a descrição em si não será a visão, só vai ter no máximo o sabor dela. O mais exato que se dá pra fazer em termos de linguagem é dizer o que Aquilo não é. A parte do nagual com a qual se pode lidar diretamente é a segunda atenção, a atenção “de baixo da mesa”, que em si, é inominável, mas ainda possui alguma qualidade à qual se pode referir. O trabalho todo é de fato o de reduzir a dominância da atenção tonal e nutrir a segunda. Só assim se tem um vislumbre claro daquele incomensurável além.

– Jeremy Christopher

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *