“— Agora procure deixar de lado a timidez, o julgamento e a perversão — sugeriu ela. Então, antes que eu pudesse responder, ela levantou a saia e afastou as pernas.
— Olhe para minha vagina — ordenou. — O buraco entre as pernas de uma mulher é a abertura energética do útero, um órgão que é ao mesmo tempo poderoso e rico.
Para meu horror, Nelida não estava usando calcinhas. Pude ver perfeitamente sua vagina. Eu queria desviar o olhar, mas estava hipnotizada. Só conseguia olhar fixamente, a boca meio aberta. Ela não tinha pêlos e seu abdômen e pernas eram rijos e lisos, sem rugas nem gorduras.
— Como não estou no mundo como mulher, meu útero adquiriu um humor diferente do humor de uma mulher comum e indisciplinada — disse Nelida, sem o menor sinal de constrangimento. — Dessa forma, simplesmente você não deve me considerar pejorativamente.
Ela de fato era linda, e senti uma pontada de pura inveja. Eu tinha no mínimo um terço da sua idade e não teria tão bela aparência naquela posição. Na verdade, eu jamais sonharia em deixar alguém me ver despida. Eu sempre usava roupões de banho compridos, como se tivesse algo a esconder. Recordando minha própria timidez, desviei o olhar delicadamente, mas não sem antes dar uma olhada no que só poderia chamar de total energia — a região em torno da vagina parecia irradiar uma força que me deixava tonta cada vez que a contemplava.
— É exatamente o que a energia proveniente do útero deve realizar— alegrou-se Nelida.—Agora você deve realmente olhar para mim e respirar profundamente. Depois poderá analisar as coisas do seu coração.
Fiz o que ela disse, sem sentir nenhuma vergonha. Respirar em sua energia fez-me sentir estranhamente revigorada, como se houvesse se formado um elo entre nós, o qual não precisava de palavras.
— Você pode realizar maravilhas controlando e fazendo circular a energia do útero—disse Nelida, puxando novamente a saia, por sobre as pernas.
Nelida explicou que a principal função do útero é a reprodução, com a finalidade de perpetuar nossa espécie. Contudo, sem que as mulheres o saibam, o útero também possui funções secundárias, sutis e sofisticadas. E nós, ela e eu, disse Nelida, estávamos interessadas no desenvolvimento destas últimas.
Fiquei tão feliz por ela ter-me incluído em sua afirmação que realmente senti um formigamento no estômago. Ouvi atentamente suas explicações de que a função secundária mais importante do útero é servir de guia para duplo.
Enquanto os homens precisam recorrer a uma mistura de raciocínio e intenção para conduzir seus duplos, as mulheres têm o útero à sua disposição, poderosa fonte de energia, abundante em atributos e funções misteriosos, todos eles destinados a proteger e nutrir o duplo.
— Naturalmente tudo isso é possível se você se libertar de toda a energia obstrutora que os homens deixaram em seu interior — disse ela. — Uma completa recapitulação de toda sua atividade sexual cumprirá essa tarefa.
Ela ressaltou que a utilização do útero constitui método extremamente poderoso e direto de alcançar o duplo.
— O útero é a maneira das fêmeas sentirem coisas e regularem seus corpos — explicou. —- Através dele, as mulheres podem gerar e armazenar poder em seus duplos para construir ou destruir, ou para se tornarem unas com tudo que as cerca.”

(A Travessia das Feiticeiras, Taisha Abelar)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *