“Nesta noite fui me deitar cedo, por volta das 20:30 mas ainda assim sofri carga escura bloqueando o advento do sono e dos sonhos. Na verdade, havia visto um filme de Charles Chaplin e virado do avesso de gargalhar com sua incomparável genialidade circence, sensibilidade artística e humana. Achei que não precisaria de todo o processo de ´descarga´do corpomente por meio dos desbloqueios e passes mágicos tendino-musculares, bem como de meditação ao modo taoista. Assim fui me deitar mas a força escura da mente forânea me atormentou com imagens-pensamentos, e que por serem semi-conscientes, também tiveram mensagens significativas que tinham sentido, mensagens estas que durante as atividades diárias havia notado superficialmente e esquecido.

Entre outras mais pessoais, as imagens-pensamentos tinham a ver com as Emanações Livres Cósmicas da ÁGUIA. As condições pra esta ´percepção intuitiva´ foi intentar Ver as emanações do Molde Humano por meio de um complexo de virtus ( ao modo das 4 disposições da espreita, a saber, senso de oportunidade, implacabilidade ( vontade inflexível), paciência (sobriedade), doçura ( sensibilidade, flexibilidade). Só que no meu caso, doçura-sensibilidade tem a ver mais com identificação/amor com o aspecto abstrato-transcendental do aspecto arquetípico do Anthropos Crístico que tem identidade com o Molde Humano, inclusive porque o aspecto amor humano já está fora de meu inventário na primeira atenção. ( diga-se de passagem, afinal, atinge-se o amor às inversas, ou seja, ´quer amor maior do que se dedicar a alguém ou alguma causa sem que tal causa ou pessoa não evoque um pingo de amor? Não seria o derradeiro amor, esta coesão com a conexão da essência da vida sem expectativa de qualquer retribuição de ´amor´… ? Não foi esta renúncia ao eu pessoa tão completa, esta crucificação do Tonal ao ponto de extinção/redução tão terrível, que Ieshoua-Cristo rompeu a inextinguível couraça infernal que aprisionava o nagual-espírito da humanidade, e abriu no flanco uma porta estreita de acesso aos que o reconhecem e amam com o coração atemporal de criança?)

Continuando, a evocação do Molde Humano Crístico, como aludido acima, ampliando a pulsação da conexão do Chacra Coração-Mente, ou Shen dos taoistas, me levou a perceber-sentir uma coluna de luz celestial diáfana em meio a escuridão, o suficiente para me defender por meio de um escudo de luz daquelas forças de escuridão ( o aspecto feminino do Molde Humano é uma luz mais delicada ainda eludida numa descrição mais própria como Luz Alva, que pode ou não tomar a forma de um ser feminino). Consequentemente, se for do momento e do coração, a luz do Molde pode tomar a forma humana de um ser masculino, conforme o deslocamento mais lateral do ponto de aglutinação na faixa Humana. Estas considerações, remeto ao leitor ao livro extraordinário (qual livro de Carlito não é extraordinário?) O Fogo Interior.

Foi então que esta conexão com a Luz do Molde Humano me trouxe alusões a respeito das emanações cósmicas livres da Águia que havia tentando esclarecer nas conversações do dia que passara. As Emanações Livres estão nas amplitudes de onda a nível das ondas de fundo cósmico, incluindo os aspectos psicodélicos dos mundos/dimensionalidades/dimensões atingidas por meio de plantas de poder e as plantas enteógenas que intensificam aspectos neuro-hormonais naturais endógenos. As Emanações Livres da Terceira Atenção nos comunicam a percepção-sensação-sentimento de eternidade e atemporalidade. Meditadores longamente e desde a juventude dedicados atingem ondas tão lentas, tipo teta ou delta ( próprio de recém-nascidos e crianças pequeninas, e sono profundo), sentem e se deixam sugestionar por estas ondas de fundo cósmicas.

Acredito que mantras como o OHM e sonoridades sem conteúdo discernível pelo repertório tonal da mente reptiliana-mamífera pode ter poder de alinhar nossas emanações do casulo na dimensão da terceira atenção. Se no entanto a sonoridade eludir a medo, perigo, ameaça, sedução de qualquer tipo, mesmo que seja de ´amor´, podemos estar sendo atingidos por emanações/forças da segunda atenção dentro do complexo da primeira atenção.
Me lembrei afinal o que havia esquecido sobre as intuições do Silêncio a respeito das emanações livres nesta noite. Tem a ver com a forma de olhos que as visões psicodélicas provocam a partir de um determinado aprofundamento com plantas. As emanações se apresentam agressivas e ativas na forma de uma corrente de olhos em fluxo pra todas as direções e também voltadas em nossa direção, pois somente pelo olhos sabemos que algo está com a chama da vida, somente pelos olhos sabemos que algo está vivo, o brilho dos olhos de um peixe morto já não existe mais. Outra coisa é que as emanações vem em forma de olhos com as plantas como a jurema, ayuhasca e o psilocybe, talvez com outras também, pois estão simbolizando que são AUTO-CONSCIENTES e VEEM e reagem conforme nossa intenção consciente e inconsciente. Pode ser que mais adiante, no aprofundamento da visão, se tornem FIBRAS LUMINOSAS como dom Juan e Castaneda atingiam o intento e a alteração da percepção de Vê-las como feixes luminosos. A respeito da importância dos olhos, da luz dos olhos, temos um monte de referências na obra de Castaneda e de autores de esoterismo e taoismo, inclusive aqui já por mim postados. A respeito disso, li recentemente que é o cristalino é formado por únicas células que nunca sofreram divisão, sendo as células que estão presentes desde a formação do embrião em nós, já que as demais células sofrem divisão e substituição ao longo dos anos. São nossas tátara-avós portanto, e sofreram uma auto-dissolução de estruturas e organelas microscópicas pra mante o alto grau de transparência necessária a visão tão especializada e precisa que todos nascemos. Então, tem sentido, pois esta luz dos cristalinos é a luz mesmo do ´espírito originário´da alquimia taoista. E centrando no espaço da câmara de jade entre os olhos, unindo os dois brilhos dos olhos numa só luz, e circulando pelas rotas Yin e Yang anterior-posterior, pela respiração-intenção, e concentrando esta luz-yang no ´espaço dos ancestrais´ entre o umbigo e o pubis, ou centro do silêncio dos Videntes de dom Juan, podemos gerar um duplo de pura luz yang segundo os taoistas da contemplação.

Dependendo da concentração e da intenção consciente e inconsciente que alguém bebe da Jurema, Mimosa hostilis, doadora de DMT, dimetil-triptamina que atua na Pineal do cérebro, e suas conexões neuro-axonais, temos o surgimento das emanações da Águia em fluxo intermitente sob a forma de uma corrente de fluxo de olhos, como também feixes e redes de olhos que cobrem tudo que é contemplado, inclusive a observação do corpo da pessoa, como a palma da mão. Certa ocasião, relato pessoal, eu havia tomado uma dose forte de Jurema, não recomendável pra quem quer seguir o caminho do Conhecimento de modo sóbrio e auto-didata, e sob influência da aura luminosa da Lua Cheia, passei fortes sensações com a corrente de emanações de olhos bastante perturbadora a ponto de me causar náuseas e desequilíbrio da postura. Em geral sinto as emanações da lua na sua fase Cheia como bastante ´siderais-alienígenas´, e evito minha exposição em aberto com estas emanações. Mas as emanações do solo e das matas circundantes não são agressivas, antes bem saudáveis, claro conforme nossa pre-disposição com os entes da biodiversidade e energias ctônicas, e conforme nossa intenção e concentração, pode-se isolar alguma dessas emanações e ´entrarmos´ no Olho da emanação, e assim saltarmos de uma dimensionalidade a outra e irmos até onde a onda nos carrega, mas é preciso SENSO DE SOBRIEDADE e AUTO-CONTROLE, e não se deixar levar pelas ´maravilhas´ contempladas, cônscios que temos de interromper a visão antes que sejamos levados sem volta, talvez tarde demais pra retornos. Um bom conselho prático, é tirarmos os sapatos impermeáveis e apoiarmos os pés ou mesmo o corpo/mãos ao solo, ou calçados com sola de couro. Eu pessoalmente também uso das agulhas de acupuntura pra ´aterrar´ minhas raízes dos pés através da punção de pontos terra dos meridianos dos pés, coisa que já me livrou de viagens perturbadoras demais. A energia precisa ser pressionada pra baixo e circulada pela respiração e pelo diafragma pra obedecer ao intento de retornar o ponto de aglutinação a nossa posição natural de percepção . Afinal estamos em busca de uma intensificação da energia por meios sóbrios de equilíbrio, e quanto menos agitarmos as emanações aprisionadas no casulo e ao mesmo tempo as emparelharmos por espelhamento com as emanações cósmicas da terceira atenção, mais estamos realizando o alongamento e reciclamento do casulo de emanações pra viajarmos pelas emanações livres da Terceira Atenção.

PS: recordei-me que no livro Segundo Círculo do Poder, La Gorda relata que ela entra em segunda atenção ao surgir um olho á frente dela, e que quanto menor for, mais providencial alcançar a viagem pelo olho.

– Dinarte Araujo Neto, Nagualismo do Novo Ciclo Holístico

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *