Voltar a usar o seu outro lado do corpo no dia a dia, é o que nós chamamos de Caminho do invertido. É um duplo aprendizado: o seu lado direito se torna professor da iniciativa e ação do seu lado esquerdo. E o lado esquerdo, se torna o professor de apoio e paciência do lado direito. Tudo é invertido se você for canhoto(a). Ambos são professores, e ambos são aprendizes.

Mas o Caminho do invertido não para por aí. Uma vez que você tem uma base de atividades no dia a dia que sabe executar com seu outro lado, você pode começar a praticar o Invertido das Emoções.

Existem muitas emoções, de experiências dolorosas passadas, que nós escolhemos suprimir, e que não somem realmente, mas simplesmente acabam se alojando no que chamamos de inconsciente. Na Família Doble, entendemos que essas emoções são represadas no lado não conscientizado do nosso corpo físico. Cedo ou tarde elas acabam subindo pra superfície novamente, numa relação, ou num sonho. E por mais que a gente fuja, ou lute pra reprimir, anos e décadas depois, quando a sensação ressurge, ela continua a mesma, ou até se tornou mais sofrida ainda, com mais memórias de dor que se acumularam.

O que queremos dizer com fazer o Invertido das Emoções?
Numa situação que te provoque dor ou medo, que te faça se sentir fraco(a), inadequado(a), ou qualquer outra emoção inicialmente negativa, ao invés de tentar reagir e se livrar imediatamente dessas sensações, ao invés de responder, xingar, reclamar, ou o que for… lembre do seu intento de fazer diferente. Respire. E escolha sentir voluntariamente as sensações que surgiram.

De início, você pode apenas sentir e observar a intensidade que essas sensações causam em você, buscando não julgá-las, nem reprimí-las. Apenas respire e sinta com a ajuda do seu lado esquerdo. Sem pressa de resolver nada. O seu lado direito não tinha essa facilidade, pois estava cheio de condicionamentos. Mas o seu lado esquerdo é totalmente capaz de sentir e sustentar silenciosamente essas sensações no corpo. E você vai logo notar que elas doem menos.

Isso vai trazer MATURAÇÃO para os seus nós emocionais. Pela primeira vez, você vai sentir que aquele padrão está sendo rompido. Que aquela dor, ainda que doa e assuste, já não dói nem assusta mais tanto. Você vai se descobrir capaz de suportar a intensidade que ela te causa. E, com o tempo, ou até na mesma hora, dependendo da sua abertura, você pode escolher não apenas ser neutro(a) em relação a ela, mas acolher essas sensações amorosamente.

Essa é uma chave que vai trazer integração, e equilíbrio emocional para o seu ser. A energia que antes era usada pra reprimir essa questão, vai ser libertada e ficar disponível novamente para você, se convertendo em mais silêncio interior, mais compreensão, mais aceitação de si, e relações mais sanas. E te ajudar cada vez mais a se lembrar do seu Meio.

— Jeremy Christopher

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.