“Dom Juan explicou que o motivo do meu corpo energético ser compelido a examinar o detalhe e ficar inextricavelmente preso a ele devia-se à sua inexperiência, sua incompletude. Disse que os feiticeiros passam a vida inteira completando o corpo energético, deixando que ele absorva tudo que for possível, como uma esponja.

– Até que o corpo energético esteja completo e maduro, ele é auto -absorvido – prosseguiu Dom Juan. – Ele não consegue se libertar da compulsão de ser absorvido por tudo. Mas se levarmos isso em consideração, em vez de lutar contra o corpo energético, como você está fazendo, podemos ajudá-lo.

– Como posso fazer isso?

– Direcionando o comportamento dele; isto é, espreitando-o.

Explicou que, como tudo que é relacionado ao corpo energético depende do posicionamento adequado do ponto de aglutinação, e como o sonhar nada mais é do que um meio de deslocá-lo, espreitar – consequentemente – é o meio de fazer o ponto de aglutinação fixar-se na posição ideal; neste caso, a posição onde o corpo energético pode ser consolidado, e da qual ele finalmente emerge.

Dom Juan disse que, no momento em que o corpo energético consegue se movimentar sozinho, os feiticeiros presumem que foi encontrado o posicionamento ideal do ponto de aglutinação.

O passo seguinte é espreitá-lo, isto é, fixá-lo. naquela posição para completar o corpo energético. Observou que o procedimento é de uma simplicidade total. Basta intentar espreitá-lo.

(…)

– Agora você se desespera por não conseguir encontrar o posicionamento ideal onde fixar seu ponto de aglutinação. E eu digo que já encontrou. A prova é que, ao se movimentar, seu corpo energético reduziu a obsessão pelo detalhe.

– O que vem em seguida para você é uma joia dos feiticeiros – Dom Juan prosseguiu. – Vai exercitar ver a energia em seu sonhar. Você passou pela prova do terceiro portão do sonhar: movimentou sozinho o corpo energético. Agora vai realizar a verdadeira tarefa: ver a energia com seu corpo energético.

– Os sonhadores têm um método empírico. Se o corpo energético estiver completo, eles veem a energia toda vez que olham fixo para algum item no mundo cotidiano. Nos sonhos, se veem a energia de um item, eles sabem que estão lidando com um mundo real, não importa o quanto esse mundo possa parecer distorcido para sua atenção sonhadora. Se não puderem ver a energia de um determinado item, eles estão num sonho comum, e não em um mundo real.

– O que é um mundo real, Dom Juan?

– Um mundo que gera energia; o oposto de um mundo fantasmagórico de projeções, onde nada gera energia; como na maioria de nossos sonhos, onde nada tem efeito energético.”

(A Arte do Sonhar, Carlos Castañeda)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *