, , , , , , ,

De onde vêm os pensamentos

O Volador devora a faixa amarela externa ao redor do casulo. A energia brilha em torno do casulo. Parecem fibras paralelas. Elas podem ser muito longas. Quando experimentamos uma explosão emocional ou pensamos febrilmente, permitimos que o Volador coma toda a nossa camada externa. Permanece apenas uma pequena parte da energia na área do tornozelo do casulo. Estamos sendo ensinados a ter medo durante toda a nossa infância.

Vou contar como vi um Volador pela primeira vez. Até então, eu já sabia da existência de Voladores e os via como linhas negras rápidas cruzando o espaço em todas as direções. Naquele momento em particular, fiz a recapitulação enquanto estava deitado na minha cama no meu quarto. Os medos começaram a aparecer. Eles me disseram: “Você não deveria fazer isso! Você será punido! Um poder superior virá e o castigará!”. Em vez de continuar recapitulando, comecei a desviar os olhos para o lado e tentar olhar acima da minha cabeça. A voz começou a me dizer: “É melhor você adormecer! Não faça isso! Não faça isso! Dormir! Você será punido! Você não deveria fazer isso! Você destruirá as próprias bases do universo! Percebi que não era a minha voz porque estava completamente silencioso por dentro. Continuei olhando de onde vem essa voz. Nuvens estranhas apareceram. Eles desceram de cima em direção aos meus olhos. Eles prejudicaram minha visão. Vi uma corrente de energia que atingiu algum tipo de nuvem. Isso foi muito estranho. Eu quase adormeci. Mas permaneci atento e fiquei olhando. E então eu vi isso…

Parecia um pacote muito assustador, como uma bola.

Eles eram seus próprios medos. Eu não tinha nenhum medo. Eu estava completamente calmo e feliz. Quando percebeu que eu estava vendo, ele voou como uma bala. E então minha consciência começou a crescer muito rápido. Vi do lugar em que estava… Por quilômetros ao redor… Através das paredes, através dos blocos que teriam bloqueado minha visão normal. Eu não precisava me levantar. Eu podia ver através do infinito: a floresta, casas ao redor, animais vagando na floresta. Minha percepção era espectral. Eu percebi com toda a minha bolha de percepção. Então eu tentei me mover, mas não consegui. Meu corpo não estava acostumado a se mover sem o comando do Volador. Todos esses comandos, “faça isso porque você não entenderá isso”; todos esses pensamentos: “Ah, esqueci o ferro quente. Eu tenho que correr para casa. Tchau, vou embora”. Toda essa conversa desapareceu e eu percebi que não podia me mexer. A partir desse momento, tentei persistentemente ver o Volador. Na próxima vez em que o Volador fugiu, forcei-me a levantar. Naquela época em particular, eu estava em uma caixa especial… Construída especificamente para recapitulação. Mais uma vez, minha visão tornou-se espectral. Vi tudo através das paredes da caixa. Então, me forcei a levantar e andar. Eu estava andando na floresta a noite toda. Confie em mim, as primeiras horas foram provavelmente as mais difíceis desde a primeira vez que aprendi a andar. Eu literalmente tive que levantar as pernas com as mãos para andar.

Para ver o Volador, é preciso descobrir de onde vêm os pensamentos, pelo menos foi assim que eu fiz. Eu, por muito tempo, acompanhei de onde vêm meus pensamentos. Você sabe como nosso intelecto funciona. Ele pensa e, ao mesmo tempo, reproduz algumas músicas, e se pergunta: ”Você já parou o diálogo interno? Sim, Sim! Eu sinto que você parou! Então comecei a imaginar uma parede branca limpa e tentei ver de onde vinham os pensamentos.

Minha primeira revelação surpreendente foi a descoberta de que o pensamento não veio da minha cabeça. Eles vieram de outros níveis de percepção. Eu não descobri isso imediatamente. Antes disso, aprendi a varrer o pensamento para limpar essa tela branca. Uma das minhas amigas sugeriu: “não varra com a mão, faça com o limpador de para-brisa”. Então eu estava ligando este limpador de para-brisa para limpar a tela dos meus pensamentos. Se os pensamentos não eram importantes, como “talvez eu precise arranhar atrás da orelha”, limpava-os imediatamente. Com o tempo, aprendi como minhas longas fibras na parte superior do casulo levam a outros níveis, fora do nosso mundo, e estavam sendo capturadas por algum tipo de substância que as adapta como uma compilação de palavras. Mas havia um ruído de fundo constante: “Pare de fazer isso! Não faça isso!” … Ou “arranhe-se”. Então comecei a rastrear de onde vinha a energia que criava o ruído de fundo. E esse ruído, por sua vez, me levou a rastrear o Volador. O Volador muda essas fibras do objetivo pretendido, a exploração do universo. Há um fluxo de energia que vai dos calcanhares aos joelhos e através do tórax em direção ao infinito, para, por exemplo, sintonizar-se com o Sol; mas a caminho, o fluxo passa o nível dos órgãos genitais e então você diz a si mesmo: “Preciso urgentemente de um parceiro”. Ou passa pela cabeça e você diz para si mesmo: “Esqueci de fazer alguma coisa. Preciso fazer algo muito importante, mais importante”. do que estou fazendo agora “. Mas o que pode ser mais importante do que o que você está fazendo agora? E o fluxo, em vez de fluir para algum lugar onde é necessário explorar seus objetivos, ele para, torce e o Volador o consome. O Volador prefere tons de marrom e verde; estas são cores de preocupações e medos. Não quero dizer que você precise parar de fazer nada do que estava fazendo, mas deve parar de se preocupar com isso.

Imagens:

1 – O Volador
2 – Como a energia ascendente é empacotada e manipulada pelo intelecto
3 – Como a energia ascendente é desperdiçada em vortices de hábitos

Por Nagual Michael Krelman

Tradução: Diego Alex

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *