, , ,

Considerações energéticas sobre a redução do tonal

“Quando acessamos novas camadas os chakras que são responsáveis por nos manter aterrados na primeira atenção pois neles estão contidos as informações do intento e da segunda atenção.

Eles estão sempre absorvendo informação do mundo ao redor e as processam como impressões, sensações e sentimentos, também pensamentos, etc.

Acessar novas camadas significa aumentar a frequência em que se vibra e as frequências são sustentadas pelos chakras.

Esse processo de expansão dos chakras eleva a frequência que vibracionamos e consequentemente a dos chakras. É como um rio que para fluir tem que desobstruir todas as passagens. É um movimento energético necessário a medida que caminhamos e adentramos novas portas sem véu… e é um tanto quanto dolorido porque os chakras liberam memórias para se expandirem e darem conta dessa elevação.

Nessa liberação de memórias muitas impressões velhas ressurgem para serem limpas de nosso inventário para então novas se aplicarem ao Ver. Essa expansão é sentida como uma reestruturação da capacidade cognitiva.

Acessando camadas da segunda atenção o plexo, o umbilical e toda a região dos chakras raízes e/ou materiais se abre, é o plexo que é responsável pelo ensonho e pela projeção astral.

Quando acontece qualquer atividade de mover p.a, atividade de magia e poder pode se ter ciência que os chakras vão liberar experiências em que fomos enfraquecidos, traumas, sentimentos de autodepreciação, coisas que aconteceram e diminuíram nosso poder.

Ao entrarmos em momentos mais delicados do Caminho nossos primeiros centros energéticos estão abertos e expandidos e em processo de expansão a medida que caminhamos… ai pode acontecer coisas que não estão sob nosso controle, ainda mais pras mulheres que tem dificuldade de fixar-se a primeira atenção. As expansões sempre afetam os corpos e exigem a necessidade de verter o crescimento nas quatro direções, no nível físico, emocional, mental e espiritual, buscando integrar uma esfera a outra em unicidade.”

– La Loba

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *