“A Águia é o antigo nome do poder que governa todos os seres vivos. Não é deus ou espírito, mas um gigantesco poder guardião que está no último Portal, aquele que separa nosso mundo do desconhecido após a morte. ”

“Esse poder é responsável por reciclar a força vital dada no nascimento de volta ao Todo coletivo, na morte. Esse guardião foi chamado de A Águia, não porque se parecesse com uma águia, mas por causa do significado que a águia tinha nas tradições místicas das Américas.”

“Foi chamada de Águia por causa de seu poder resplandecente e mistério. Esse poder é responsável por nutrir a vida na faixa da Terra, bem como por reciclar a energia daqueles que morreram sem desenvolver seu Duplo de Energia, de volta à fonte, na morte. Somente aqueles com um Duplo de Energia coerente são capazes de atravessar o olho brilhante da Águia e continuar como uma consciência individual.”

“Quando os videntes viram a Águia, viram incontáveis ​​linhas ou fibras de energia irradiando de seu Núcleo de Energia central, que chamaram de Emanações da Águia. As Emanações da Águia são a linha de vida para o corpo físico, bem como o Duplo de Energia de todo organismo vivo. Para um vidente, as emanações aparecem como zilhões de pontos coloridos pulsantes ao redor e através de todas as coisas. Em determinados ângulos, essas partículas são vistas como extremidades brilhantes de tubos estreitos ilimitados, ou fibras finas que saem da concha da esfera luminosa de qualquer ser vivo em direção ao infinito. Na outra extremidade está o ponto de conexão com a Águia Guardiã.”

“Esses pontos separados às vezes são agrupados para formar tubos mais grossos que atravessam uma pessoa em pontos específicos do corpo. Os três tubos principais, com aproximadamente 3 polegadas de diâmetro, dividem o corpo na parte superior do centro do Núcleo de Energia (na clavícula), no plexo solar e na parte inferior do centro do Núcleo de Energia ou no sacro.”

Enquanto Teca falava, minha mente estava girando com uma infinidade de perguntas, a mais importante era por que vemos a poeira colorida como pontos de luz, quando na verdade as emanações são tubos sem fim ou longos filamentos.

Teca riu e disse que todo aprendiz que ele já treinou teve exatamente a mesma pergunta.

“Os pontos brilhantes de poeira são simplesmente a área onde colocamos nossa tela de projeção”, disse ele. “Colocamos uma fina parede de neblina no ponto externo de nossa própria concha luminosa para ver a poeira colorida.”

“Imagine se você quiser, um filme projetado que, é claro, é feito de vários pedaços de luz colorida. Esse feixe ou tubo de luz projetado não pode ser visto, e o filme é completamente invisível, a menos que algo pare a luz. Quando uma tela ou qualquer outro objeto sólido é colocado na frente do feixe, o filme se torna visível.”

“Para perceber nossa realidade normal, colocamos nossa tela de projeção pessoal, ou mais precisamente, nosso ponto de aglutinação coletivo, em um lugar acordado em nossa consciência, que nos permite compreender a mesma realidade percebida por todos os outros humanos. Para perceber a poeira colorida, que está fora de nossa percepção normal, devemos mudar nossa tela de projeção para um novo ponto de aglutinação que nos permita reconhecer as Emanações da Águia”, finalizou Teca.

(Anthony Vega, Sex Dreaming: Sexualidade Esotérica Revelada. (Na tradição Tolteca de dom Juan Matus & Carlos Castaneda))

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.