Os feiticeiros do México antigo, que descobriram e desenvolveram os passes mágicos nos quais se baseia a Tesengridade, sustentaram, de acordo com o que Don Juan explicou, que a realização daqueles passos preparam e conduzem o corpo para a percepção trasnscendental: a percepção de que, como um conglomerado de campos de energia, os seres humanos são unidos por uma vibração, uma força aglutinadora que liga aqueles campos de energia individuais em uma unidade coesa e concisa.

Don Juan Matus, ao me familiarizar com as proposições daqueles feiticeiros dos tempos antigos, ressaltou incessantemente o fato de que a realização dos passes mágicos era, até onde ele sabia, o único meio de firmar as bases para se tornar plenamente consciente daquela força vibratória de ligação; alguma coisa que acontece quando todas as premissas do caminho do guerreiro estão internalizadas e postas em prática.

Foi sua habilidade como instrutor que fez daquelas premissas um objeto materializado; em outras palavras, ele lidou como as premissas do caminho do guerreiro de tal maneira que foi possível para mim e para outros discípulos transforma-los em unidades em nossas vidas diárias.

Sua alegação era que essa força vibratória e aglutinadora que une os conglomerados de campos de energia que somos é aparentemente similar ao que os astrônomos modernos acreditam acontecer no núcleo de todas as galáxias que existem no cosmos. Eles acreditam que lá, em seus núcleos, uma força de incalculável energia mantem as estrelas da galáxia em seu lugar. Esta força, chamada buraco negro, é um constructo teórico que parece ser a explicação mais razoável para a razão em virtude da qual as estrelas não fogem de sua órbita, dirigidas por sua própria velocidade de rotação.

O homem moderno descobriu, através da pesquisa dos cientistas, que existe uma força unificadora que mantem unidos os elementos componentes do átomo. Pelo mesmo motivo, os elementos componentes das células são mantidos unidos por uma força semelhante que parece obriga-las a combinar-se na forma de tecidos e órgãos concretos e individuais. Don Juan disse que aqueles feiticeiros que viveram no México antigo sabiam que os seres humanos, tomados como um conglomerado de campos de energia, estão unidos não por um invólucro ou ligamento energéticos, mas por algum tipo de vibração que torna todas as coisas simultaneamente vivas e no devido lugar; alguma energia, alguma força vibratória, algum poder que cimenta aqueles campos de energia em uma unidade energética singular.

Don Juan explicou que aqueles feiticeiros, através de suas praticas e disciplina, tornaram-se capazes de lidar com a força vibratória, visto que eram plenamente conscientes dela. Sua perícia em lidar com esta força tornou-se tão extraordinária que suas ações eram transformadas em lendas, eventos mitológicos que existem apenas nas fábulas. Por exemplo, uma das histórias que Don Juan me disse sobre os antigos feiticeiros foi de que eles eram capazes de dissolver sua massa física através do mero direcionamento de sua plena consciência e intento naquela força.

Don Juan afirmou que, embora eles fossem realmente capazes de atravessar a câmera escura caso avaliassem necessário, eles nunca estavam satisfeitos com os resultados de sua manobra de dissolver suas massas. A razão de seu descontentamento era que, uma vez que sua massa era dissolvida, o mesmo acontecia com sua capacidade de agir. Eles eram deixados somente com a alternativa de testemunhar eventos nos quais eles eram incapazes de participar. Suas seguidas frustrações, como resultado de serem incapacitados de agir, converteu-se, de acordo com Don Juan, em sua falha crítica: sua obsessão em desvelar a natureza da força vibratória, uma obsessão dirigida por sua concretude, fazendo-os desejar o domínio e o controle daquela força. O desejo ardente daqueles homens era atacar a condição espectral da natureza destituida de massa, algo que Don Juan afirmou que nunca poderia ser realizado.

Os praticantes dos dias de hoje, herdeiros culturais daqueles feiticeiros da antiguidade, descobriram que não é possível conceber de uma maneira concreta e utilitária aquela força vibratória, então optaram pela única alternativa racional: tornar-se consciente daquela força com nenhum outro propósito a vista senão a elegância e bem-estar trazidos pelo conhecimento.

A única instância permissiva a qual Don Juan conferiu para a utilização do poder da força vibratória de aglutinação foi sua capacidade de fazer os feiticeiros queimarem interiormente quando chega o momento deles deixarem este mundo. Don Juan disse que é muito simples para os feiticeiros colocarem a totalidade de sua consciência na força de ligação com o intento para queimar, que para longe vão, como um sopro de vento.

(Carlos Castaneda, Um Diário de hermenêutica aplicada)
Tradução: Felipe Matus

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.