, , , ,

Libertando os olhos da intenção do tonal

“Quando se lida com o nagual, nunca se deve olhar para ele diretamente. Você hoje esteve olhando atentamente para ele, por isso foi abatido. O único meio de olhar para o nagual é como se fosse uma coisa normal. É preciso piscar para poder romper a fixação. Nossos olhos são os olhos do tonal ou talvez fosse mais próprio dizer que nossos olhos foram treinados pelo tonal e, portanto o tonal os reivindica. Um dos motivos de sua perplexidade e desconforto é o fato de seu tonal não largar seus olhos. No dia em que fizer isso, seu nagual terá tido uma grande vitória. A sua obsessão, ou melhor, a obsessão das pessoas é arrumar o mundo de acordo com as regras do tonal; portanto, cada vez que nos defrontamos com o nagual, fazemos o possível para tornar nossos olhos rígidos e intransigentes. Tenho de apelar para a parte do seu tonal que compreende esse dilema e você deve fazer um esforço para libertar seus olhos. O problema é convencer o tonal de que existem outros mundos que podem passar diante das mesmas janelas. O nagual lhe mostrou isso hoje de manhã. Assim, deixe seus olhos serem livres; que sejam janelas de verdade. Os olhos podem ser as janelas para espiar para dentro do tédio ou para espiar para aquele infinito.

Dom Juan fez um arco amplo com o braço esquerdo, para referir-se a tudo o que nos cercava. Havia brilho em seus olhos e o seu sorriso era ao mesmo tempo assustador e desarmante.

— Como posso fazer isso? — perguntei.

— Digo que é uma coisa muito simples. Talvez eu diga que é simples porque a venho praticando há tanto tempo. Basta organizar sua intenção como se fosse uma alfândega. Sempre que você estiver no mundo do tonal, deve ser um tonal impecável; não gaste tempo com besteiras irracionais. Mas, sempre que estiver no mundo do nagual, também deve ser impecável; não há tempo para besteiras racionais. Para o guerreiro, a intenção é o portão no meio. Fecha-se completamente atrás dele, quando ele se dirige para qualquer das duas direções. Outra coisa que se deve fazer ao enfrentar o nagual é mudar a linha de visão de vez em quando, para quebrar o encanto do nagual. Mudar a posição dos olhos sempre alivia o fardo do tonal. Hoje reparei que você estava extremamente vulnerável e mudei a posição de sua cabeça. Se você estiver num apuro desses, você mesmo deve ser capaz de mudar de posição sozinho. Mas essa mudança só deve ser feita como um alívio, e não como mais um meio de se entrincheirar para salvaguardar a ordem do tonal. Meu palpite é que você procuraria utilizar essa técnica para esconder a racionalidade do seu tonal por trás dela, acreditando assim o estar salvando da extinção. A falha em seu raciocínio é que ninguém deseja nem procura a extinção da racionalidade do tonal. Esse medo é infundado. Não há mais nada que eu lhe possa contar, a não ser que você tem de acompanhar todos os movimentos que Genaro faz, sem se esgotar. Você agora está experimentando se seu tonal está ou não apinhado de coisas supérfluas. Se existem itens desnecessários em demasia em sua ilha, você não conseguirá suportar o encontro com o nagual.

— O que me aconteceria?

— Você pode morrer. Ninguém consegue sobreviver a um encontro propositado com o nagual sem um treinamento demorado. Levam-se anos para preparar o tonal para tal encontro. Normalmente, se o homem médio se vir frente a frente com o nagual, o choque será tão grande que ele morre. O objetivo do treinamento de um guerreiro, portanto, não é ensinar-lhe a enfeitiçar ou encantar, e sim PREPARAR SEU TONAL para que ele não sucumba. Coisa muito difícil. Um guerreiro tem de aprender a ser impecável e completamente vazio antes de poder sequer conceber presenciar o nagual. No seu caso, por exemplo, você tem de parar de calcular. O que você fez hoje de manhã foi um absurdo. Você chama a isso explicar. Eu digo que é uma insistência estéril e cacete do tonal para ter tudo sob seu controle. Sempre que ele não o consegue, há um momento de perplexidade e depois o tonal se expõe à morte. Que imbecil! E, no entanto, pouco podemos fazer para modificar isso.

— Como foi que você mesmo mudou isso, Dom Juan?

— A ilha do tonal tem de ser varrida e mantida limpa. É esta a única opção que se apresenta ao guerreiro. Uma ilha limpa não apresenta resistência; é como se ali nada houvesse.”

(Porta para o Infinito, Carlos Castañeda)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *