· “Em seu esquema de ensino, o qual foi desenvolvido por feiticeiros de tempos antigos, havia duas categorias de instrução. Uma era chamada “ensinamentos para o lado direito”, desenvolvida no estado normal de consciência. A outra era chamada “ensinamentos para o lado esquerdo” , posta em prática apenas em estados de consciência intensificada.

Essas duas categorias permitiam que os professores ensinassem a seus aprendizes em três áreas de habilidades: a mes­tria da consciência, a arte da espreita e a mestria do intento.

Essas três áreas de habilidade, são os três enigmas que os feiticeiros encontram em sua busca ao conhecimento.

A mestria da consciência é o enigma da mente, a perplexi­dade que os feiticeiros experimentam quando reconhecem o es­pantoso mistério e propósito da consciência e da percepção.

A arte da espreita é o enigma do coração o desconcerto que os feiticeiros sentem ao se tornarem conscientes de duas coi­sas: primeiro, que o mundo parece para nós inalteravelmente objetivo e factual, por causa das peculiaridades de nossa cons­ciência e percepção segundo, que se diferentes peculiaridades de percepção entram em jogo, as próprias coisas do mundo que parecem tão inalteravelmente objetivas e factuais mudam.

A mestria do intento é o enigma do espírito, ou o paradoxo do abstrato – os pensamentos e ações dos feiticeiros projeta­dos além de nossa condição humana.

A instrução de Don Juan quanto à arte da espreita e à mes­tria do intento dependia de sua instrução sobre a mestria da consciência, que era a pedra fundamental de seus ensinamen­tos, que consistem das seguintes premissas básicas:

1. O universo é uma aglomeração infinita de campos de energia, semelhantes a filamentos de luz

2. Esses campos de energia, chamados de “emanações da Águia” , radiam de uma fonte de proporções inconcebíveis, me­taforicamente denominada Águia

3. Os seres humanos também são compostos de um nú­mero incalculável dos mesmos campos de energia filamento­sos. Essas emanações da Águia formam uma aglomeração encapsulada que se manifesta como uma bola de luz do tama­nho do corpo da pessoa com os braços estendidos lateralmente, como um ovo luminoso gigante

4. Apenas um grupo muito pequeno de campos de ener­gia no interior dessa bola luminosa são acesos por um ponto de intenso brilho localizado na superfície da bola

5. A percepção ocorre quando os campos de energia desse pequeno grupo imediatamente ao redor do ponto de brilho es­tendem sua luz para iluminar campos de energia idênticos no exterior da bola. Uma vez que os únicos campos de energia per­ceptíveis são aqueles iluminados pelo ponto brilhante, esse ponto é chamado “o ponto onde a percepção é aglutinada” , ou simplesmente “o ponto de aglutinação”

6. O ponto de aglutinação pode ser movido de sua posi­ção usual sobre a superfície da bola luminosa para outra posi­ção na superfície ou no interior. Uma vez que o brilho do ponto de aglutinação pode iluminar qualquer campo de energia com o qual entrar em contato, quando se move para uma nova po­sição ilumina de imediato novos campos de energia, tornando-os perceptíveis. Esta percepção é conhecida como ver

7. Quando o ponto de aglutinação se desloca, torna pos­sível a percepção de um mundo inteiramente diferente – tão objetivo e factual como aquele que normalmente percebemos. Os feiticeiros entram nesse outro mundo para obter energia, po­der, soluções para problemas gerais e particulares, ou para en­carar o inimaginável

8. O Intento penetrante é o que nos faz perceber. Não nos tornamos conscientes porque percebemos antes, percebemos como resultado da pressão e intrusão do intento

9. O objetivo dos feiticeiros é atingir um estado de consciência total de modo a experimentar todas as possibilidades de percepção disponíveis ao homem. Esse estado de consciência implica mesmo uma maneira alternativa de morrer.”

(O Poder do Silêncio, Carlos Castañeda)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *