, , , ,

Em Questão, a ´forma humana´, os entes forâneos inorgânicos, o cérebro reptiliano

“Estas três dimensionalidades do composto humano estão inter-relacionadas.

O cérebro reptiliano se comunica com o cérebro emocional-mamífero por sua contiguidade neuro-axonal. Formam uma unidade reacional. Já o cérebro neocortical, propriamente humano, está axonalmente distante, se formou tardiamente na evolução que levou ao ramo homo sapiens, e forma uma rede de feixes axonais complexa de ida e vindas (proximais e distais) tanto com os sistemas cerebrais mais antigos e com a medula espinhal e todo o organismo. Os cérebros paleocorticais da medula cinzenta do reptiliano se conectam através dos nervos pares cranianos e sistema nervoso simpático e parassimpático.

Segundo os livros e preleções de dom Juan, em especial nos últimos três livros de Castaneda, O Poder do Silêncio, A Arte do Sonhar e o póstumo O Lado Ativo do Infinito, bem como passagens do livro Passes Mágicos, tratam da questão das entidades inorgânicas que tomaram a dianteira no comando da cultura e da mente, desviando o ponto de aglutinação da profundeza do feixe Humano em contato com o ´espírito/abstrato/intento´através do Conhecimento Direto e Silencioso, para uma mente superficial repleta de auto-referências egoístas e auto-reflexões por pensamentos de espelho narcisista. Neste mesmo sentido temos o conceito de forma-humana, um feixe de emanações que dá molde eu-ego-centrado dentro dos moldes da cultura legada pelos Entes Forâneos. Já o Molde-Humano é o feixe que dá o molde de nossa espécie como um todo, abstrato e universal, de irradiante numinosidade, no qual cada cultura imprime sua estampa religiosa ou esotérica.

Um modo muito prático de flagrar e espeitar as intromissões do cérebro reptiliano/ mente forânea em nós mesmos, é através das agressões que sofremos com pequenos e medíocres tiranos em posição de poder ou relacionamentos pessoais ou íntimos. Numa relação dual entre os dois sexos complementares, o homem e a mulher, a coisa fica bastante polarizada e conflituosa, dado a distância que os separa em termos de apreensão da realidade e os itens que prioriza na constelação do Tonal. Uma discordância repetida e intensa entre o casal a ponto de ameaçar a parceria estável, leva a um turbilhão emocional que provoca tempestades mentais de pensamentos negativos, juízos de valores ego-centrados, ressentimentos, acusações, auto-estima ferida e animosidade projetada. Todos os sistemas de defesa egocentrados estudados por Freud e colaboradores entram em ação. Todas as couraças do caráter em questão estudada por Wilhelm Reich entram em ação. Faça o seguinte experimento, numa oportunidade dessas, que deve ocorrer por força fortuita do espírito/abstrato, passe a realizar uma ação anódina e monótona, como passar a ferro suas roupas acumuladas, ou limpar o chão da casa, lavar o carro. Observará a tempestade mental indo e voltando, se recolhendo quando prestamos atenção a suas excursões emocionais e pensamentos correlatos, aflorando e levando nossa atenção em bolhas de pensamentos emocionais, dos quais praticamente nada de valor associativo e coerente se extrai. Tentem resistir a este carrossel de pensamentos emocionais e formas-pensamento, imagens automáticas e mecânicas que passam a levar nossa atenção pruma dimensionalidade de fantasias e julgamentos ego-auto-ressentidos e projetados no/na outro. Muitos sentirão enorme dificuldade de se manterem além e atentos aos detalhes do trabalho que estejam providenciando. Lapsos de desatenção é a marca dessa mente forânea e do extrato reptiliano-mamífero do cérebro. A Atenção ao aqui-agora e um desapego testemunhal dos acontecimentos é marca do Conhecimento Silencioso e do Neocórtex associativo humano de ambos os cérebros, esquerdo e direito. Claro que pra se manter neste nível de desapego e atenção do Conhecimento Silencioso foi necessário um distanciamento que o Abstrato/espírito providencia, e não por cálculos de espreita provocativa, desapego e excelência de ação que acena para o que dom Juan acusa como prelúdio do Conhecimento Silencioso, a não-condescendência, a não-auto-compaixão, que muitos insistem em confundir como impiedade fria, coisa mais própria de psicopatistas. A implacabilidade é obra da excelência da ação no Intento (impecabilidade). Enfim, observará em si-mesmo o funcionamento do cérebro reptiliano-animal, o mesmo que age por programações e é receptivo a condicionamentos e rituais próximos e distantes, e ao mesmo tempo da mente forânea, ou seja, emulada e sustentada por forças extemporâneas de dimensionalidade alienígeno-forâneas, segundo os Novos Videntes Toltecas,( dentro e fora de nós, projetadas pelo outro e pelo entorno de conhecidos e do meio social), também segundo a cultura de todos os povos e mesmo apontadas por correntes ufológicas hodiernas. Mui provável que nossa neuro-constituição e a presença ufo-alienígena ancestral e atual tenha uma a ver com a outra na evolução humana em amplo sentido. Seja como for é uma hipótese coerente de trabalho interior na práxis do mundo.

Seja como for, a práxis dialética deste confronto dentro de nós e das relações complexas no mundo, através da auto-observação ativa e meditacional do não-fazer NO fazer diuturno, dessa atenção ampliada entre o fazer e as formas-pensamento intrusas e que brotam dentro do cérebro-mente, acaba desnatando, destilando, sugestões de certa coerência ao caso em questão de conflito, e em geral somente depois de esgotados as camadas auto-referenciais e ego-narcisistas de auto-estima e de ser o/a dono da razão ou da justificativa.

Outro momento CRUCIAL é durante o período Noturno, pois precisamos nos preparar nosso corpomente com práticas de meditação/respiração/recapitulação do acontecimento, bem como práticas de alongamentos neuro-tendinosos dos passes mágicos, antes de irmos à cama, e de preferência uma cama própria nossa, pois a proximidade do OUTRO neste caso e em geral, é nociva e introjeta estas forças invasivas e mobiliza nossas próprias tempestades mental-emocional. Com a cabeça no travesseiro, o bicho pega. Podemos novamente ser açulados e admoestados do mesmo modo acima descrito e lá vão-se horas de insônia e chateação noturna. Uma força estranha muito pesada e agressiva geralmente acomete quando vem a noite e na hora de dormir. Milhões de pessoas vivem este drama á noite e se tornam cronicamente insones. A farmacolândia extrai enormes lucros com estas forças escuras intrusas que levam a muitas doenças nervosas e mentais. Uma coisa está ligada a outra neste mundo. As projeções de entes forâneos e da parafernália de condicionamento e controle mental andam JUNTAS. O espírito trevoso do mundo e as elites do ápice da pirâmide de poder não ponto sem nó, estão investidos em todas as transações da cultura, da civilização escravizadora e do Tonal. Uma sugestão: de noite e na cama, vire a cabeceira da cama pra alguma orientação que lhe cause bem estar na sua experiência, pode ser ao nascer do Sol(leste), ou outra. Proteja-se de formas coerentes, como um cinturão de Sal a nível do chacra abaixo do umbigo, centre-se neste centro-do-silêncio (dan-tien), proteja a cabeça de alguma forma ( um manto, uma touca ou gorro firme, etc). Se a meditação e toda a providência não foi o suficiente, busque apoio e contato com o feixe do Molde-Humano transcendental, da maneira que achar conveniente. O Molde é uma posição bem perto depois que alcançamos o Silêncio Interior por meio da estabilização corpomental, mas só podemos evocá-lo por meio da integração Coração-Mente, ou Shen dos taoistas, e isso pode ser alcançado a longo prazo por meios pragmáticos como posturas invertidas do ioga e respiração abdominal, como também por modo intuitivo de integração coração-mente, unindo os arquétipos correlatos que evocam o Molde-Humano. Neste caso, um estudo e aprofundamento da psicologia profunda de Carl Jung pode nos auxiliar muito. “

– Vicente Medrano-Dinarte

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *