Carol Tiggs fala sobre sua fusão com o Inquilino – transcrição do discurso em Tula

“A seguir a transcrição de um discurso “altamente secreto” em um tour guiado que Carol Tiggs deu para os membros da Cleargreen em uma viagem a Tula no início de 1995. Agradecimentos especiais a Greg e Gabi por descobrirem essa joia.”

Carol Tiggs em Tula

“Vou revelar coisas que ninguém nunca soube, então é muito importante que você preste atenção. Este não é o momento para a sua mente linear. Use-a no discurso acadêmico sério. Eu já fui uma Doutora em Medicina e agora estou buscando meu diploma em lógica simbólica. Eu uso todos os meus recursos de pensamento; indução, dedução e abdução em meus estudos acadêmicos. Sou a aluna mais diligente das dez às quatro, mas quando chego em casa às cinco já não sou mais Muni Alexander, mas Carolina Aranha. Eu não sou mais linear. Seus melhores esforços de pensamento linear devem ser usados em atividades acadêmicas. Não aqui em Tula. O meu mundo não é linear. Dito isto, vamos entrar.

Eu gostaria de dizer uma palavra sobre seres cíclicos. Seres cíclicos para os antigos feiticeiros e para o velho nagual e nós não significam reencarnação. Isso significa que os seres humanos acontecem em fios mantidos juntos por correntes de energia homogênea. Pense em uma cortina feita de contas. Cada fio é individual e cada conta é ainda mais individual, mas eles são mantidos juntos pela mesma força, a mesma corda. As contas da mesma cadeia poderiam ser chamadas de cíclicas pelos antigos feiticeiros da antiga linhagem do nagual.

Por acaso tenho a sorte ou o infortúnio de ser uma conta na mesma corda que contém uma criatura estranha que conhecemos como o desafiante da morte. Não foi um caso tão improvável para o desafiante da morte e Carol Tiggs terem um acordo transcendental, já que não é uma idéia absurda de que Lorenzo e Júlio tenham uma afinidade total pelos outros dois elementos que desapareceram. Nada poderia ser mais absurdo, mas nada poderia ser mais simples.

Renata é minha filha adotiva, minha responsabilidade. Eu não cuido dela tanto quanto eu gostaria, porque tenho uma filha natural bem possessiva que assiste a cada movimento que eu faço. Mas isso não significa nada. Eu ainda sou responsável por essa criatura. (toca e beija Renata). Ela, além de ser minha responsabilidade, é também minha guardiã,, minha chacmool. Ela está me guardando aqui mesmo. O mistério não é como é que eu poderia ser cíclica com o desafiante da morte, mas como é que eu poderia estar sã e falando com vocês agora.

Não vamos ficar aqui por muito tempo. Vamos ver minha chacmool cíclica.

Na igreja, na pequena capela à esquerda.
[Esta “direção do palco” refere-se à capela mostrada nesta 2a foto.]

Aqui é onde o desafiante da morte fechou um acordo com Carol Tiggs. Eu vou dizer a vocês tão exatamente como posso o que aconteceu aqui.

O desafiante da morte diz para Carol Tiggs na voz rouca mais aterrorizante: “Eu tenho te visto por um longo tempo, Carol Tiggs” Ela gostava quando as pessoas usavam seu nome inteiro; Parecia respeitoso, embora a voz rouca da criatura fosse mais do que perturbadora. Soava viril. Carol Tiggs pensou que não havia qualquer maneira que ela pudesse ter certeza de que o desafiante da morte era uma mulher. A criatura parecia adivinhar o que Carol estava pensando e disse: “Não há nada mais de macho em mim. Meu ponto de aglutinação está totalmente torcido. Como mulher, você não pode ver, mas certamente pode sentir meu ponto de aglutinação ou minha buceta.

Carol Tiggs estava ficando mais muda e nervosa do que nunca. De repente, o desafiante da morte agarrou a mão de Carol Tiggs e enfiou-a na saia. A criatura estava usando um vestido longo sem calcinha. Sua vagina estava quente e úmida e um pouco pegajosa. A vagina da criatura não cheirava nada. Houve uma sensação de vórtice molhado puxando Carol para baixo.

O desafiante da morte então disse: “Por que você não coloca minha mão lá?” e apontou para a virilha de Carol. Neste ponto, Carol estava rindo como um idiota. A mulher mergulhou através de sua saia, meia-calça e calcinha e enfiou o dedo na buceta de Carol Tiggs. O horrível é que Carol Tiggs realmente gostou. A mulher tinha um dedo muito gordo que parecia crescer por dentro. Isso é tão terrível e tão embaraçoso que tenho que contar na terceira pessoa – A mulher fez sexo com ela, bem nesta capela e Carol Tiggs teve um enorme orgasmo. Ela estava ofegante.

Com olhos vidrados, Carol Tiggs se virou para a voz que estava soando em seu ouvido. A voz perguntou: “Agora, você não vai fazer isso comigo também?” Carol Tiggs estava deitada entre os bancos, meio nua. E ela o fez.

A desafiante da morte disse: “Não seja tímida e não seja julgadora. As mulheres têm uma enorme carga de energia em seu útero e a única maneira de se abrirem para o desconhecido é através da explosão de seu orgasmo. Elas são afetadas por ele”. ou elas poderiam afetar os outros com isso. Agora, você está pronta para o nosso acordo? “

Carol Tiggs estava mais morta do que viva. Ela não sabia o que fazer. Ela se sentia usada, suja. Ela achava que todos na igreja a tinham observado e se preocupava como que teriam pensado. Eles certamente acreditariam que ela era lésbica. Ela então perguntou fracamente: “Você acha que as pessoas nos observaram?”

A desafiante da morte respondeu “Não, porque você está sonhando dentro de um sonho. Esta igreja não existe. Estamos em um vácuo. A igreja parece estar aqui, mas não está. Eu quero que você me dê uma mão e me liberte das minhas correntes. Eu não sei o que eu posso fazer por você em retribuição a isso. Cabe a você me usar parcial ou totalmente. Eu vou pegar uma carona e vou ficar com você e você pode fazer a mesma coisa comigo, mas depende de você. Eu não tenho mais decisões. Minha vida termina com sua linhagem, mas acontece que nós duas somos cíclicas. Eu darei todo o poder que tenho… se você quer ser um homem, vou fazer de você um homem. Se você quer ser uma super buceta, vou fazer de você uma super buceta.

“De repente me ouvi gaguejar “Eu- eu- eu gostaria de ser uma super buceta, p-p-posso?” Então algo em mim disse “NÃO, não, eu não quis dizer isso!”

É claro que tenho que lhe dizer que não parecia com o que pareço hoje. Eu parecia com a Nuri, uma boba. O desafiante da morte levou meu nariz, meu corpo frágil… O desafiante da morte era, naturalmente, a imagem cuspida daquela coisa no museu, o que eu pareço agora.

“Você aceita minha oferta?” a mulher perguntou. “Eu não posso te forçar. A decisão é sua, mas deixe-me dizer, será uma aventura de dimensões incalculáveis. Qualquer coisa que acontecer comigo será melhor do que o que acontecerá quando a energia parar de vir do nagual. “

Carol Tiggs não conseguia entender esse diálogo. Então ela continuou com um pensamento: “O que significa ser uma super buceta?”

“Bem, você poderia simplesmente pegar qualquer homem ou mulher que você quiser. Você poderia ter orgasmos através do seu nariz, ou você poderia se esfregar contra a parede da igreja. Uma super buceta significa que você é uma buceta por inteiro.”

Eu estava totalmente esquizofrenicamente assustada e com medo e, ao mesmo tempo, outra pessoa estava me dominando. Carol Tiggs respondeu de maneira cínica, “É, é, seria demais, tão excitante!” No entanto, em outra parte, ela está começando a compreender o vasto escopo deste empreendimento, mas apenas vagamente … Carol Tiggs continuou: “Ok, o que faremos?”

“Você poderia começar seduzindo Isidoro Baltazar.”

“Oh, essa é uma idéia tão idiota. Ele me odeia. Mas com meus novos poderes ..” Carol diz isso enquanto começa a acariciar o nariz.

Hoje eu sinto que foi uma troca tão lamentável entre uma criatura tão incrível e as pequenas preocupações de Carol Tiggs querendo ser uma super buceta. Mas é assim que somos, não façamos caso disso.

“É hora de mudar os sonhos. Vamos mais fundo ainda. Vamos sentar em frente ao mar da consciência”, disse a mulher.

“Sim, eu amo a praia mas, pouco antes de irmos, e quanto ao Carlos? Isidoro, quero dizer.”

“Vamos vê-lo”.

Caminhada até a praça (3a foto)

A próxima coisa que eu sabia era que estava sentada no banco. E Carlos estava no meu colo. Eu estava possuído por uma seriedade extravagante. Eu não podia ceder nem que minha vida dependesse disso. Nunca antes senti tanta convicção e, ao mesmo tempo, assombro. Eu era eu, mas o eu que conheço hoje.

O resto da história vocês conhecem. Carlos escreveu sobre isso e eu recomendo que vocês leiam.

Caminhada até o hotel, depois de mostrar os dois restaurantes da cidade. De pé na esquina, aponta para os dois últimos quartos, no canto, no segundo andar.

“Eu, como a nova criatura que não era Carol Tiggs, levou Carlos para lá e apesar do fato de que ele era meu irmão, eu o seduzi como se não houvesse amanhã. Mas eu não era Carol Tiggs, eu era outra coisa. Algo conciso e determinado, frio e ainda apaixonado. Quando fechava os olhos podia ver cenários que não pertenciam a nenhuma experiência, seres estranhos como sombras se aproximavam e me examinavam. Eles me cutucaram e me viraram, procurando por algo não dito.

Eu tive que manter meus olhos abertos o tempo todo. Finalmente adormeci. Acho que foi quando me fundi totalmente com Isidoro Baltazar. Foi então que ele se tornou meu verdadeiro irmão. Nós rodamos juntos no mar de consciência por nove dias até que não houvesse mais diferença energética. Você vê, o mistério dos mistérios é que Carlos e eu somos cíclicos um para o outro e para o desafiante da morte. Foi por isso que o odiava e amava ao mesmo tempo. Eu o via como homem. O desafiante da morte explicou-me que um homem e uma mulher que são cíclicos um para o outro não podem chegar em acordo em um milhão de anos. A única coisa que Carlos e eu pudemos fazer foi nos fundirmos.

Saí do hotel em um dia muito normal, eu como sou hoje. E fui encontrar a mulher. Ela me levou pela mão através daquela capela e, um segundo depois, eu estava novamente encarando o mar da consciência. Não é um mar. É uma onda inconcebível de energia, uma energia peculiar que é consciente e fala com você. Talvez os místicos dos tempos antigos tenham experimentado isso. Carlos acha que, na melhor das hipóteses, eles só alcançam o molde do homem, um aglomerado de campos de energia, como cordas luminosas que o homem quer o homem é. Algo como um molde cósmico que imprime energia na forma de homem, como uma máquina que faz biscoitos. Mas acho que talvez tenham ido além disso. O mar da consciência é o mais próximo do conceito de Deus; é uma força inclusiva. Diante disso, você não é nem uma faísca, uma mancha, um vírus. Ainda assim está ciente de você. Naquele mar de consciência meu ser cíclico, o desafiante da morte se transformou em algo que não é estranho para mim, nem um pouco repugnante. Ela era eu cheia de capacidades, com indiferença. Todas as minhas preocupações se desligaram como se uma pessoa desligasse uma lâmpada elétrica … Havia sensações orgânicas poderosas, imagens chamativas como em um sonho. Finalmente eu estava em um sonho conciso que ganhou precisão até que fosse o mundo real.

Demorou meses para encontrar Carlos porque eu estava grogue, eu era idiota. Um dia eles disseram que ele estava dando uma palestra. Eu tinha perdido a esperança. Claro que quase lhe provoquei um ataque cardíaco. Ele pensou que eu tinha ido embora, como o regulamento ditava. O resto vocês conhecem.

Quando a desafiante da morte e eu estávamos em frente ao mar de consciência, ela me disse meu nome Muni, ela disse que algum dia quando eu tivesse conseguido me integrar, ou quando nada mais importasse e meus olhos estivessem alinhados com os dela eu seria ela própria, Xoxopanxoco.

Desde então eu estou correndo atrás do meu irmão; como uma mulher possuída, a preocupação de todos os outros feiticeiros não é nada para mim agora. Sua luta é a única coisa que eu conheço, nada importa mais então eu posso dizer qual é o nome da desafiante e o que isso significa. Isso significa fruto da eterna primavera.

A torção final dessa cadeia infinita de possibilidades é que Xoxopanxoco – não sei o nome do desafiante como homem; sobreviveu a uma meta subsidiária. Ela disse que estava viva há milhares de anos, não porque era gananciosa pela vida, mas porque amava a vida e a humanidade. Seu único sonho, que não tinha nada a ver com a sobrevivência, era ajudar a humanidade a alcançar um nível de razão e inteligência que não temos. Ela disse que somos ritualistas e repetitivos e temos delírios de grandeza que não têm justificativa. Nós somos uma bagunça.

Ela disse que evocar seu nome em Tula seria uma sugestão para acordá-la. E que poderia haver alguns seres audazes que evocariam o nome dela na minha presença. Invocando o nome dela na minha presença, que é a sua presença, o diálogo interno deles pararia e eles podiam até ter um vislumbre de sonhos sobre sonhos que foram tecidos neste local maravilhoso, agora ocupado por essa cidade pequena e absurda.

Ela me disse para dizer isso:

Can a nicuicanitl huiya
Xochitl in noyollo ya
nicmana nocuic a ohuaya ohuaya
o xoxpanxoco o xoxopanxoco”

(Fonte: SustainedAction)

4 respostas
    • Nagualismo
      Nagualismo says:

      Segundo o Site sustainedaction.org o texto é uma transcrição de um discurso dado por Carol Tiggs a membros da Cleargreen em uma visita a Tula.

      Responder
  1. brenno
    brenno says:

    isso que a Carol tigs fala vai totalmente contra o que Dom Juan vinha falando a respeito dos seres inorgânicos.
    até o que ela fala sobre o inquilino parece totalmente sem sentido. Quem leu as obras de Castaneda sabe que aí tem coisa estranha.

    Responder
  2. HELMO BAGDA GAMA
    HELMO BAGDA GAMA says:

    As mulheres têm uma natureza realmente diferente. O próprio xamanismo comum norte americano diz: tudo nasce do feminino.
    O Desafiante da Morte não é um ser inorgânico, mas outra coisa, até onde lembro.
    O próprio Dom Juan disse que as mulheres têm um orifício a mais, a vagina, e que ali tem é coisa!

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *